Número total de visualizações de páginas

terça-feira, 20 de agosto de 2019

CONVERGÊNCIA



 
Os desenhos referidos na página "VAGABUNDO POR OPÇÃO"  de 22/06/19, Gago Coutinho e Sacadura Cabral, neste Blog

A viagem (travessia aérea do Atlântico sul desde Portugal, Lisboa, em 30 de Maço de 1922, ao Brasil, Rio de Janeiro, em 17 de Junho) 

Documentário: 
A rota completa Lisboa-Las Palmas - Gando - São Vicente - São Tiago - Penedos - Fernando de Noronha - Recife-Baía (Salvador) - Porto Seguro - Vitória - Rio de Janeiro.

Gago Coutinho era um cartógrafo ao serviço da Marinha com muitos conhecimentos obtidos através da prática em várias missões de cartografia nas colónias portuguesas do continente africano e Sacadura Cabral era um piloto com larga experiência de voo. 
Conheceram-se em África e ambos se preocupavam com problemas de localização e orientação da navegação portuguesa em alto-mar.

Gago Coutinho e Sacadura Cabral

Com apenas um sextante aperfeiçoado de modo a permitir a orientação do avião em pleno voo sem necessidade de visualizar directamente o horizonte e um corretor de rumos inventado para rectificar os desvios causados pelo vento, após terem feito vários testes, aproveitaram a celebração da independência do Brasil e rumaram até lá no hidroavião "Fairay3", baptizado de Santa Cruz (e mais dois aparelhos perdidos ao longo do percurso, por razões técnicas e climatéricas).


Hidroavião Fairey F III-D nº 17 "Santa Cruz" (Museu de Marinha de Lisboa).

Apesar  das muitas dificuldades vencidas e das mais de 4 500 milhas marítimas percorridas, a viagem foi um sucesso não só por ter sido a primeira travessia do Atlântico Sul, mas também porque era a primeira vez que, na História da Aviação, se tinha viajado sobre o Oceano Atlântico apenas com o auxílio da navegação astronómica  a partir do aeroplano.

Gago Coutinho e o seu sextante

Com o novo tipo de sextante inventado por  Gago Coutinho (adaptação de um horizonte artificial para medir a altura dos astros), provou-se que era possível realizar voos de grande distância com precisão.

Este aparelho revolucionou a navegação aérea da época e passou a  ser utilizado na indústria aeronáutica, nas décadas seguintes, em todo o mundo.

Dois anos depois da viagem, Sacadura Cabral desapareceu no Mar do Norte quando transportava um avião Fokker para Lisboa. O corpo nunca foi encontrado e do aparelho apenas foi recolhido um flutuador.

Gago Coutinho morreu em 1957, com 90 anos. Teve uma carreira longa dedicada ao serviço da Marinha e da Aviação como historiador e investigador de história náutica. 

E julgo não errar se disser que o autor dos desenhos em cima, B., poderá ser um dos seus descendentes



Imagens Google

sábado, 10 de agosto de 2019

POMBAIS TRADICIONAIS PORTUGUESES





Há mais ou menos três anos, por volta do mês de Agosto e a caminho de Peso da Régua, reparei que, em plena encosta / terreno de subida acentuada a partir de terras planas  (onde se situa a grande zona urbana da cidade da Régua),  se avistavam minúsculas casas brancas e dispersas entre vinhas e oliveiras.

O tamanho, a localização e a multiplicidade despertaram-me  o interesse da pesquisa .

Na região do Douro, a plantação da vinha em patamares transforma a paisagem num cenário digno de pintura, resultado do esforço simultâneo dos grandes mestres da Natureza e do Homem, sempre com possibilidade de novas perspectivas de exploração. E as pequenas construções dão-lhe um bucolismo singular

Como se caracterizam, então, essas  casas invulgares avistadas durante o percurso na A222 (classificada, como a mais bela estrada do mundo), entre o Pocinho e  o Peso  da Régua, que se estendem desde a  faixa norte da Beira mais interior até às serranias transmontanas?

Pois são ou foram pombais, construídos de diversas formas e dimensões por quase toda a Península Ibérica, para criação de pombos da variedade doméstica, o Pombo-das-rochas.
A instalação deste tipo de pombal processou-se de forma generalizada nas décadas 50/60  acompanhando, nuns casos, a campanha do trigo e noutros,  a plantação de vinhas e olivais a fim de abrigar pombas e, consequentemente, aproveitar o fertilizante agrícola denominado localmente “pombinho”, de elevada qualidade (segundo os vinhateiros) para os terrenos.
Quando jovens, os “borrachos” são também um prato muito apreciado sobretudo em Espanha. 
Alguns pombos eram ainda vendidos para provas desportivas de tiro.

Pombo-das-rochas num jardim

A partir da década de 60, os pombais foram progressivamente votados ao abandono, deixando de ter importância na economia rural, quer devido à emigração de grande parte da população, quer devido à mecanização e utilização de adubos químicos na agricultura
As pombas domésticas, por sua vez, tal como as pessoas, fugiram para as cidades em procura de alimento.
E assim, as "caixas fortes" de pombos passaram, deterioradas, a abrigar espécies que se encontram em perigo de extinção como a Coruja-das-torres, o Falcão peregrino, a Águia-de-bonelli que se alimenta de pombos e os estorninhos, mochos e poupas, para a nidação.

Coruja-das-torres                             Mocho
Falcão peregrino                                    Águia-de-bonelli

No entanto, ainda há Pombais Tradicionais bem conservados que são usados para os fins originais, em espaços mais dispersos. Outros estão ou vão ser recuperados para promover o ecossistema do nordeste. 
O seu aproveitamento e valorização pode contribuir para um desenvolvimento sustentável de aldeias que correm o risco de desaparecer, como a aldeia de Uva, Vimioso.


Quanto à arquitectura, apresentam uma planta circular ou semicircular ancestral única, do tempo da Época Feudal, em que ter um pombal era um privilégio.
Têm corta-ventos para proteger as aves da nortada, pináculos de pedra trabalhada ou outro material e pequenos buracos como porta de entrada /saída dos pombos de modo a que não caibam as aves de rapina. 
Do lado de dentro, existem ninhos em saliências para produção. Obstruindo o caminho a possíveis predadores de pombas, há placas metalizadas nas paredes exteriores. 
A entrada humana é mínima e feita a mais ou menos meio metro acima do nível do chão para impedir a entrada de roedores e evitar que a porta fique presa no estrume que se acumula por trás.
As paredes são caiadas, de xisto ou de granito e o telhado é tapado com telha de barro ou de ardósia.


                                                                                                                           Pináculo
                                                                                                 
Tratando-se de arquitectura popular, poderá haver relação com as históricas casas próprias da Cultura Castreja, bem visível no norte português. Talvez sejam ainda romanos ou pré-romanos.



Na minha Aldeia havia um criador de pombos sem pombal tradicional, penso, porque nunca o vi. Imagino que seria do género dos exemplares inseridos em baixo. 
Diria que aqueles  pombos eram uma praga de invasores voadores que iam conquistando e conspurcando terreno nos telhados das casas, fontanários, torres, imóveis abandonados. 
E como os pombos acasalam umas cinco vezes por ano, não paravam de aumentar transmitindo, muito possivelmente, a doença do pombo (criptococose) através da inalação dos esporos de fungos presentes nas fezes. Ao atingirem o sistema respiratório e o sistema nervoso central, a pessoa fica infectada e predisposta a ter uma meningite, pneumonia ou disfunções cerebrais.


Mas houve um dia em que todos desapareceram...




Autores consultados:

Almeida ( 1993).
Amaro ( 2010).
Fernandes, E., & Monteiro, A. (2004).
Flores (1973)
Martins (2012)
Teixeira (2013)

terça-feira, 6 de agosto de 2019

MAIS BENFICA E O ADEUS A JONAS


Como a ondulação vermelha tem continuado a propagar-se com a alegria contagiante da sua própria cor, também hoje a minha página será, então, benfiquista. 
Destaco, assim, mais 2 títulos conquistados pelo Clube da Luz e o Adeus a um Grande homem e grande jogador, Jonas. 

Taças:
- A Internacional Champions Cup
É o principal torneio de futebol que decorre durante a pré-temporada, com algumas das melhores equipas de todo o mundo.  
O Benfica, ao ter ganho esta troféu, passou a fazer parte da lista dos vencedores ou seja, do Real Madrid, Manchester United, Paris Saint-Germain, Juventus, Inter de Milão, FC Barcelona e Tottenham (actual detentor do ceptro). 






- A Supertaça Cândido de Oliveira

Supertaça Cândido de Oliveira: SL Benfica 5 - 0 Sporting CP


Alguns comentários ao jogo retirados da Internet que, só por si, definem o carácter, a grandeza e a classe do Benfica:

"Parabéns Bruno Lage, parabéns a todos os jogadores e a todos os adeptos do Benfica - os que estavam no estádio e os do mundo inteiro."
"Parabéns SL Benfica. Saudações Leoninas"
"Sou Portista mas isto foi um jogo do caraças"
"O Sporting vai ser um clube banal ainda pior que o Braga"
"Parabéns ao Benfica dum Portista."
"Um fim de semana e duas taças!"

Jonas, o Homem e o jogador


Seria uma grande falha não demonstrar aqui a minha gratidão para com as características excepcionais que Jonas pôs ao serviço da equipa e do Clube na medida em que até os adversários se referem a ele desta forma: 

"Mesmo não sendo Benfica, tenho que admitir que não vemos jogadores destes todos os dias"
"Até eu que sou sportinguista chorei com este vídeo"
"Sou do Sporting com todo o meu coração, mas !Uau!, que grande video e que grande despedida! Muita força Jonas Pistolas! Um enorme abraço!"


Imagens Google

quarta-feira, 24 de julho de 2019

O ELOGIO DO RECONHECIMENTO .

.
Portugal foi o 3.º país do mundo a ter um organismo oficial de turismo com origem na Organização Mundial do Turismo. Porém, o desenvolvimento deste sector quase não teve significado até ao final do século XVII.

O slogon “Portugal: the shortest way between America and Europe” , lançado em 1907 pela Sociedade de Propaganda de Portugal com a finalidade de transformar Lisboa numa plataforma de tráfego internacional entre a Europa e o continente americano, foi o primeiro cartaz turístico português.

Não sei exactamente em que ano é que surgiu o slogan “Portugal está na moda” mas recuando, ao acaso, no tempo e lendo as notícias relacionadas com o Turismo, em todas elas se encontra, directa ou indirectamente, uma menção, referência, alusão, sobre o tema.

2004 “As mulheres portuguesas estão, regra geral, mais bonitas e mais cuidadas, e isso nota-se nas candidatas a Miss Portugal 2004”. 
Luís Reto, psicólogo e professor universitário

2005 Não é preciso ser um génio para perceber que isto de cantar em português já não é o bicho de sete cabeças e que muito boa gente, apostada em fazer carreira na língua de Camões, tem vindo a somar pontos. 
cmjornal.pt/cultura/detalhe/portugal-esta-na-moda

2010 Com o slogan “Portugal está na Moda”, o nosso País voltou a ser a maior presença estrangeira na feira de Madrid. O pavilhão português recebeu passagens de modelos de 11 estilistas. Publituris

2014 "Meio mundo diz que Portugal está na moda... e são os turistas que o confirmam". 

2016 "Portugal é muito mais do que um desvio". O Alentejo é um dos 52 melhores destinos do mundo para passar um fim de semana. Mashable
Portugal é o “segredo foodie mais bem guardado da Europa” CNN  
A região do Douro é “o novo destino gastronómico mais atraente da Europa”.The Wall Street Journal 

2017 "Mais do que nunca, Portugal, este jardim da Europa à beira-mar plantado, está na moda" jornal económico
Lisboa é uma das melhores cidades a visitar em 2017,  o Porto é destino de valor e os Açores região de eleição. Lonely Planet

2018 Portugal está definitivamente na moda. Segundo o jornal britânico The Telegraph, que destaca os recordes de turismo registados pelo nosso país nos últimos tempos, Portugal, considerado periférico da Europa durante largos anos passou a ser, desde Janeiro de 2018, um dos pontos centrais do mundo. "Toda a gente parece estar a ir para Portugal” neste momento. 

2019 Portugal foi distinguido pelo World Travel Awards, que atribui os "óscars do turismo", pelo terceiro ano consecutivo. A Madeira foi eleita pela sexta vez como o melhor destino insular da Europa.
No total, Portugal recebeu 39 prémios, mais três do que no ano passado. O Turismo de Portugal recebeu também o prémio de Melhor Organismo Oficial de Turismo.
"Estamos cada vez mais perto de ser o destino mais sustentável do mundo."
Pedro Siza Vieira, ministro adjunto e da Economia


"Mais do que nunca, Portugal está na moda. Depois de ter vencido o Europeu de futebol de 2016, de ter ganho o Festival Eurovisão da Canção, de António Guterres ter ocupado o lugar de Secretário-Geral das Nações Unidas, de Mário Centeno ter sido escolhido para presidir ao Eurogrupo, de Cristiano Ronaldo ter recebido a quinta bola de ouro, foi-lhe atribuída a maior das distinções pelo World Travel Award, considerando-o o melhor destino turístico do mundo". 
Jornal Económico
Ganhou ainda o “Óscar do Turismo” e Lisboa ficou com o galardão de ‘Melhor Destino para City Break do Mundo’.

Tudo começou com  a revista norte-americana “The Huffington Post”  que apresentou motivos para a escolha de Portugal como o local ideal para uma aventura.

Entre outros motivos, The Telegraph destaca:


- O encanto intemporal de Lisboa | As colinas e os eléctricos, a herança cultural da cidade, o sol e as cores.


- O Porto lindo | Com o coração medieval, buzz contemporâneo e uma colecção de bares, restaurantes e cafés que oferecem uma experiência real da vida local

- O vinho do porto| (ainda não descobriram tantos outros vinhos que também competem com os melhores do mundo?)
- A famosa Livraria Lello e a sua ligação a Harry Potter |  Diz-se que as estantes ornamentadas, os tectos de madeira esculpida e as escadarias luxuosas inspiraram a biblioteca de Hogwarts nos livros de Harry Potter.


- Os maravilhosos pasteis de nata| Apesar de haver muitos, os nossos são considerados os melhores

- O tempo espectacularThe Telegraph refere que, "com 2799 horas de sol por ano, Lisboa é a capital europeia mais ensolarada, deixando para trás Atenas com 2.771 horas".

- A Madeira também é linda| "As paisagens da ilha podiam ter sido sonhadas por Tolkien."

- A Libra esterlina vale mais em Portugal | Apesar do Brexit,  Portugal continua a apresentar um custo de vida que permite fazer aos ingleses umas óptimas férias com pouco dinheiro.
- A Ponte Vasco da Gama | Por ser uma das mais compridas da Europa.


- Um estádio lindo | Destaque para o Estádio Municipal de Braga que, com a sua parede de rocha, é um dos mais belos estádios para a prática do futebol.

- Pode bater-se em pessoas com martelos | Os tradicionais martelos de São João, no Porto

- Há praias requintadas | E para todos os gostos. 

- As ondas | Atraem cada vez mais turistas como melhores destinos da Europa e do resto do mundo para a prática de surf.  



- A resposta europeia ao Havai | Os Açores são uma espécie de "Havai da Europa", um dos destinos mais bonitos do mundo. 
- As nossas cidades secretas | Tavira, Sintra ou Guimarães ( nem tanto, acho!)


- Hotéis de grande categoria por todo o lado | Os habituais Ritz Four Seasons Lisbon e outros que não só têm aumentado em quantidade como em qualidade.

- A vida nocturna | Uma boa noite de festa em Portugal não é um segredo. 

- As casas de fado | O Fado também fascina os ingleses



- O rio mais subestimado da EuropaThe Telegraph destaca o rio Douro por onde passa o vinho de que tanto gostam, como dos mais belos da Europa 

- Uma capela feita com ossos humanos | A Capela dos Ossos em Évora que "dá arrepios" é um local único.
- Uma das melhores piscinas do mundo | Desenhada por Álvaro Siza, a Piscina das Marés é uma das obras mais emblemáticas de Matosinhos. Construída nos anos 60, ainda hoje é considerada uma referência.

- Serralves, no Porto | Um dos museus portugueses mais visitados  e um dos "museus de arte contemporânea mais influentes da Europa", com jardins bem cuidados, espalhados por obras de Richard Serra e Claes Oldenburg.

Noutras escolhas surge também: 
- Minho|Extensa paisagem verde, Parque Nacional Peneda-Gerês, aldeias de xisto. 
- Praia de Peniche|(sobretudo o Baleal, de areia fina e branca e águas quase transparentes).
- Museu da Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT) |O País foi capaz de voltar ao seu auge mesmo depois da recessão económica de 2008.

Mas... e a minha Beira Alta (e Beira Baixa)?

A riqueza da herança cultural das pequenas localidades, o Turismo Rural, Vila Nova de Foz Coa, a agricultura e as suas multifacetadas formas e paisagens, o Turismo Náutico, Parques e reservas naturais, a gastronomia, Estâncias Termais, Fátima/Santuário, as Aldeias históricas e do Xisto, a Serra da Estrela com todo o seu potencial, outras Serras luxuriantes, múltiplos Museus, Judiarias, Praias fluviais, Arquitectura tradicional, Reservas Naturais, um passado único lusitano, não são também motivos para escolher Portugal como o local ideal para uma aventura?

O que falta para se constituir como um destino que os turistas gostem de visitar, vivenciar e nele permanecer?
Falta estratégia que oriente os turistas para algo mais que valorize esta região no seu todo, que os insira na sua génese e envolvente? 
Faltam acessibilidades e articulação de transportes?
Talvez vontade e conhecimentos suficientes sobre a importância dos valores existentes?

Mas vem aí a construção da Concordância das Beiras entre a Linha da Beira Baixa e a Linha da Beira Alta que envolve a renovação integral de 36 quilómetros de Via,  electrificação total do troço, reabilitação de 6 pontes ferroviárias, remodelação de Estações e Apeadeiros, automatização e supressão de Passagens de Nível, construção de sistemas de Drenagem e execução de trabalhos de estabilização de taludes.

O Projecto“Linha da Beira Baixa – Modernização do troço Covilhã – Guarda”, tem como finalidade melhorar a ligação ferroviária do norte e centro de Portugal com a Europa, permitindo a articulação entre os portos do norte/centro e a fronteira de Vilar Formoso.
O longo período de ausência do serviço ferroviário de interligação destes concelhos"tem prejudicado muito as populações e empresas da Covilhã, Belmonte, Sabugal e Guarda" 
Por outro lado, também se espera a concretização do troço final da A25, de ligação entre Vilar Formoso e a fronteira, uma ligação transfronteiriça à A62 – Autovia de Castilla, com melhores condições de comodidade e segurança rodoviária. Haverá um viaduto com 330 metros de extensão sobre a ribeira de Tourões e  dois ramos de acesso ao Nó de Fuentes de Oñoro, já em território espanhol.


E assim, quem viajar de um país para outro deixará de passar no interior de Vilar Formoso e Fuentes de Oñoro e junto à antiga estrutura alfandegária.


Da modernização do Troço Guarda-Cerdeira, consta:
- Renovação total da Via Estabilização da plataforma da via e melhoria do sistema de drenagem 
- Tratamento e estabilização de taludes 
- Adaptação da Infraestrutura de Catenária
- Modernização da Infraestrutura de Sinalização e Telecomunicações 
- Implementação do sistema de RCT e TP
https://infraestruturasdeportugal.pt/sites/default/files/files/files/2019_07_26_apresentacao_lbeiraalta_final.pdf
Na cerimónia de consignação da obra a realizar foi reforçada a aposta no  meio de transporte ferroviário para o futuro. Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas


Estação da ferrovia da Cerdeira

Só por curiosidade, quem, arcaica como eu, não recorda estas viagens quando criança, tão curtas e tão longas?...

Comboios Regionais de Guarda para Vilar Formoso:

Tipo serviço:
Número comboio:
5421
5423
5425
5427
5429
5431
Observações:




Guarda
07:04
12:30
14:42
16:35
19:10
23:37
Gata
07:08
12:34
14:46
16:39
19:14
---
Vila Garcia
07:11
12:37
14:49
16:42
19:17
---
Vila Fernando
07:15
12:41
14:53
16:46
19:21
23:44
Rochoso
07:19
12:45
14:57
16:50
19:25
---
Cerdeira
07:26
12:49
15:04
16:54
19:29
23:50
Miuzela
07:30
12:53
15:08
16:58
19:32
---
Noemi
07:33
13:00
15:11
17:05
19:36
---
Castelo Mendo
07:38
13:05
15:16
17:10
19:40
23:59
Freineda
07:44
13:11
15:22
17:16
19:46
00:05
Aldeia
07:47
13:14
15:25
17:19
19:50
---
Vilar Formoso
07:52
13:19
15:30
17:24
19:55
00:12

Da Linha da Beira Alta fazia parte a estação do Noémi (ou Apeadeiro?) que servia de ponto de controlo de tráfego entre as estações da Freineda e da Cerdeira, permitindo o cruzamento de comboios. Sem aglomerado populacional, era constituída por um edifício de passageiros, outro de mercadorias, duas linhas de circulação e outra que servia o cais coberto e o cais descoberto.
Muito perto, do outro lado das linhas, havia uma "casinha" de madeira onde o Agulheiro guardava o material que utilizava na orientação dos comboios e nós (eu e a filha Jeta, minha amiga de carteira de Escola) brincávamos com bonecas de trapos.
Capeia Arraiana, «Do Côa ao Noémi», opinião de José Fernandes 

Mas esta (este?) já não irá ser remodelado...






Fotos e pesquisa Google